Principal Comece 'O lobo de Wall Street' ensina essas 7 lições para o sucesso

'O lobo de Wall Street' ensina essas 7 lições para o sucesso

O Lobo de Wall Street foi um filme de sucesso. As pessoas glorificaram o próprio filme e também Jordan Belfort, o personagem principal. A história e o enredo eram extravagantes, selvagens e divertidos. Uma das partes mais loucas desse filme é que a história é verdadeira.

Ele também tem um livro de sucesso O Caminho do Lobo , que ilustra ainda mais como os empreendedores podem ser bem-sucedidos na persuasão, influência e sucesso.

quem é a senhora conselheira doméstica

Independentemente de você ter visto o filme ou lido seu livro, existem algumas dicas importantes (para o bem e para o mal). Elas são baseadas no que aconteceu com Belfort e sua empresa de investimentos, Stratton Oakmont. Aqui estão sete lições que aprendi que você pode aprender com sua história:



1. Ser bons amigos de seus funcionários significa que eles farão qualquer coisa pela sua empresa.

No filme, as pessoas que trabalham para Jordan Belfort estão dispostas a praticamente sacrificar suas vidas por ele. Um dos motivos é que a cultura que criaram no escritório foi extremamente fraterna.

Definitivamente, havia consequências para isso, mas um benefício era que as pessoas fariam qualquer coisa por ele. A empresa parecia uma comunidade extremamente unida. Belfort tinha fortes relacionamentos individuais com seus funcionários, fora do contexto de trabalho. Isso levou a mais respeito por ele e a uma maior disposição dos funcionários em fazer sacrifícios pela empresa.

2. Não exclua ninguém por causa de problemas anteriores.

Jordan Belfort se arriscou com um punhado de funcionários que estavam em situações terríveis. Apesar da má conduta passada ou da falta de experiência, ele olhou para a personalidade e a ética de trabalho ao tomar decisões.

Como resultado, ele contratou muitos dos 'tipos errados' de pessoas. Essas pessoas fizeram um ótimo trabalho para ele e se sentiram gratos pela oportunidade. Ele ensina a olhar além de um currículo ou de alguns sinais importantes ao fazer escolhas de contratação.

3. As reuniões sociais são uma ótima maneira de construir a cultura da empresa.

As reuniões sociais que aconteciam em O lobo de Wall Street eram freqüentemente prejudiciais à saúde. Havia uma ênfase nas atitudes misóginas e no tratamento malfeito das pessoas. Esse tema não deve ser replicado, mas sim a ideia de encontros sociais únicos e divertidos. Stratton Oakmont foi extremamente criativo sobre os eventos que eles tiveram.

Essas atividades criaram um vínculo mais forte entre as pessoas da empresa e ofereceram um espaço social divertido. Não foram eventos aos quais os funcionários apenas sentiram a obrigação de comparecer. As reuniões de empresa não precisam ser tão moralmente erradas quanto as de Stratton Oakmont para realizar a mesma coisa. Em vez disso, exige criatividade e esforço extras de uma empresa.

4. Tenha cuidado com o que você é sacrificando por dinheiro ou sucesso.

Outra grande lição do filme foi o valor do sacrifício. Jordan Belfort se tornou uma pessoa totalmente diferente depois de se envolver em Wall Street. Sua vida pode ter parecido mais 'divertida' a olho nu. Dito isso, ele fez muitos sacrifícios para chegar lá.

Ele tratava mal as pessoas, se divorciava de sua primeira esposa e ingeria grandes quantidades de drogas. No final das contas, ele magoou as próprias pessoas com quem se importava e que se importavam com ele.

Pode ser tentador tomar decisões erradas para obter gratificação instantânea. Os empreendedores mais bem-sucedidos são aqueles que conseguem evitar esses impulsos. O objetivo é tomar decisões saudáveis ​​e ponderadas de maneira consistente. Permanecer consistente com os valores de sua vida, não importa o que aconteça, é uma base mais verdadeira para o sucesso e a felicidade.

5. Às vezes, faz sentido parar enquanto você está ganhando.

Jordan Belfort teve a oportunidade de recuar e se afastar da cultura negativa da empresa. Ele tinha estabilidade financeira e poderia ter conseguido se safar com muitas de suas atividades ilegais. Em vez disso, ele foi tentado a voltar ao trabalho. Ele deixou que a camaradagem e a gratificação instantânea superassem a decisão certa de deixar outra pessoa assumir o cargo de CEO. Isso acabou custando muito a ele - tudo.

Fora de situações ilegais, o Wolf on Wall Street oferece lições importantes sobre como estar ciente de sua função na empresa. Às vezes, a melhor opção é dar um passo para trás. Isso pode ser devido a choques de personalidade ou por você não ser mais adequado para o papel. É difícil ter essa autoconsciência. No entanto, isso deixará você e sua empresa em melhor situação.

6. Uma cultura empresarial intensa ou competitiva tem prós e contras.

Por um lado, os funcionários de Belfort trabalharam arduamente devido à cultura da Stratton Oakmont. Esse esforço levou a uma alta produção e um alto padrão de trabalho.

Por outro lado, as pessoas faziam sacrifícios morais por realizações. Eles fizeram coisas ilegais e agiram imoralmente. Belfort não percebeu o que iria emergir da cultura que ele estava tentando criar. Isso criou uma situação tóxica.

Quando há um grau tão alto de intensidade, especialmente com dinheiro envolvido, as pessoas podem tomar decisões erradas. Portanto, ao pensar sobre a cultura da empresa, há um equilíbrio importante a ser tentado e atingido.

raposa 25 shiri idade da lança

7. Leve a vida um pouco menos a sério.

The Wolf on Wall Street é um curso de atualização sobre como não levar a vida muito a sério. Belfort e Stratton Oakmont tomaram tantas decisões malucas. Embora tenham pagado as consequências por essas escolhas, e isso não vale a pena, eles também se divertiram muito.

Administrar uma empresa é extremamente desafiador. Portanto, é fundamental aproveitar a viagem. O estresse constante torna tudo mais difícil.

Todos nós sabemos e entendemos que não precisamos de atividades ilegais para criar mecanismos que permitam mais diversão e prazer no trabalho.